Tablets precisam de medidas de segurança diferentes de celulares e computadores?

Tablets precisam de medidas de segurança diferentes de celulares e computadores?

Postado por Guilherme Sousa, 04/02/2019 em Dicas e Curiosidades
Compartilhar

Nos últimos anos, muitos usuários têm adquirido considerável preocupação com a segurança de seus dispositivos móveis. E isso, ironicamente, acabou pondo em xeque a antiga ideia de que programas de antivírus (ou mesmo de redes VPN) eram próprios de computadores de mesa (incluindo nessa classe laptops, notebooks e afins) e não exatamente cabíveis para aparelhos como celulares e tablets.

Tablets precisam de medidas de segurança diferentes de celulares e computadores?

Embora seja verdade que essa concepção não condiz com a realidade – afinal há no mercado inúmeras opções de antivírus e aplicativos de VPN para dispositivos móveis, o alarde em torno da proteção desses aparelhos pode ser, por vezes, um tanto quanto exagerada. Será mesmo que o usuário precisa de medidas de segurança extra como o uso de VPN e de antivírus em seu celular?

A verdade é que, em praticamente todos os casos, os telefones e tablets Android não requerem a introdução de um antivírus ou a adoção de redes VPN. De fato, problemas com vírus em dispositivos Android não são, nem de longe, tão comuns quanto se ouve por aí. É seguro até mesmo dizer que um aparelho tem maior risco de ser roubado do que de efetivamente pegar um vírus.

Por outro lado, também é fato que, apesar de raros, os vírus para Android são sim uma ameaça real. Mas, mesmo assim, na maioria das vezes, uma atitude cautelosa e baseada em bom senso é suficiente para evitar maiores problemas.

Quais são os principais vírus para dispositivos Android?

A maioria dos vírus conhecidos para Android é normalmente adquirida por meio do download de aplicativos questionáveis ​​- aqueles que você nunca encontraria na Google Play Store. Como, por medida de segurança, o Android não permite que você instale aplicativos de diferentes fontes, as possibilidades de você, por acaso, baixar inadvertidamente algo malicioso são bem raras.

Mesmo num cenário extraordinário no qual um aplicativo pernicioso fosse incluído na vitrine da Play Store, o Google não demoraria para tomar as medidas cabíveis e logo desinstalaria o programa do seu aparelho. E ainda que, por puro despeito, o referido aplicativo retornasse à Play Store sob um nome diferente (como já ocorreu no passado com pelo menos sete apps diferentes, segundo a Symantec), o mesmo processo se repetiria de novo e de novo.

Assim, o maior risco que você pode correr se dá justamente ao instalar aplicativos fora do Google Play. Para esses casos, a introdução de um antivírus Android além do uso de uma rede VPN são boas maneiras de se proteger.

Descubra quais aplicativos representam possíveis riscos ao seu dispositivo

Os programas antivírus conseguem fazer varreduras antes mesmo de você instalar qualquer aplicativo. Então, para o azar de você ter baixado um arquivo malicioso fora da Play Store, o antivírus pode ser um grande aliado ao alertá-lo dos perigosos desse arquivo antes que você o execute.

Por óbvio, evitar riscos em potencial continua sendo a melhor abordagem, mas para o caso de você simplesmente precisar baixar um aplicativo em um ambiente desconhecido, ter um antivírus instalado e fazer uso de uma rede VPN podem ser estratégias bastantes úteis para defender seu dispositivo Android.

Não aceite pedidos de acesso de aplicativos ou sites estranhos

Não há como reforçar o suficiente que a melhor tática em prol da segurança do seu aparelho é a prevenção. Assim, a verificação cuidadosa dos locais onde você adquire seus aplicativos e demais arquivos é imprescindível.

Da mesma forma, ao acessar seu email ou receber mensagens instantâneas de aplicativos como Gmail, WhatsApp ou Facebook Messenger, é importante manter sempre uma boa dose de bom senso e crítica, afinal esses programas são grandes alvos de ataques baseados na confiança do usuário, como os chamados golpes de phishing.

Mensagens duvidosas, portanto, mesmo quando vindas de remetentes conhecidos, devem ser evitadas a todo custo. Não raro, contatos seus podem ter sido vítimas de golpes parecidos e acabam, inadvertidamente, compartilhando conteúdos contaminados. Então, tenha em mente: todo cuidado é pouco.

CONCLUSÃO

Os meios mais comuns de se pegar um vírus, como já mencionado acima, ocorrem em decorrência de atitudes arriscadas como acessar links suspeitos, aceitar solicitações de acesso de sites desconhecidos ou fazer downloads de fontes exteriores à Play Store.

O uso de antivírus e de redes VPN pode ser, nesses casos, um bom aliado na manutenção de padrões confortáveis de segurança para seu dispositivo. Mas possuir uma postura defensiva focada na prevenção é, de longe, a melhor estratégia a ser adotada.

Compartilhar
Comentários

Últimas Notícias
1 2 3 406
>