Por que é importante contar com um seguro de vida?

Alguns assuntos são tratados, ou melhor, não são tratados por serem considerados mórbidos demais, como a contratação de um seguro de vida, confundido muitas vezes como um seguro que serve apenas para casos de morte, mas a realidade é bem diferente e bem mais abrangente.

Esta modalidade de seguro possui a cobertura para morte acidental ou natural, que é obrigatória e se refere ao pagamento de indenização (capital segurado) ao beneficiário, determinado na apólice de seguro, podendo o segurado escolher inclusive mais de um beneficiário, mas a apólice pode também incluir outras coberturas, chamadas de coberturas complementares.

Seguro de vida é sinônimo de segurança

O seguro de pessoas é um recurso que ninguém planeja utilizar, mas que faz falta quando a necessidade aparece e as pessoas não o têm. Isso porque as coberturas básicas e complementares são pensadas para proteger o segurado e seus beneficiários em situações de extrema necessidade.

No caso do seguro para morte, por exemplo, os financeiramente dependentes do segurado podem contar com uma ajuda que irá garantir o bem-estar financeiro e mais tranquilidade para lidar com as dificuldades deste momento. Outra cobertura básica muito importante de um seguro de vida é para invalidez, que pode abranger:

  • Invalidez permanente ou parcial por acidente;
  • Invalidez permanente por acidente majorada;
  • Invalidez funcional permanente total por doença;
  • Invalidez laborativa permanente total por doença.

A cobertura de incapacidade temporária é um ótimo exemplo de cobertura complementar que pode fazer muita falta para um profissional autônomo que, sem poder trabalhar, compromete não apenas a sua renda, como também a qualidade de vida dos seus dependentes.

Cada cobertura pode ser contratada em separado o que, principalmente no caso das coberturas complementares, é uma grande vantagem para o segurado que contrata um plano de seguro, pois desta forma a apólice abrange apenas as coberturas que têm mais chances de serem utilizadas. As coberturas complementares mais comuns são para cobertura de despesas médicas, hospitalares e odontológicas, diárias de internação hospital e doenças graves.

Quem pode contratar o seguro de vida?

Os seguros de pessoas podem ser contratados de forma individual ou coletiva, mas sempre com intermediação de um corretor de seguros credenciado pela SUSEP (Superintendência de Seguros Privados), que possui poderes de representação para agir em nome do segurado junto às seguradoras e ainda pode orientar o segurado ou empresa estipulante com relação às coberturas complementares que são realmente necessárias.

Vale ressaltar que o corretor de seguros não possui vínculo empregatício com as seguradoras, o que favorece aos clientes, pois o profissional é livre para intermediar a contratação do seguro de vida de acordo com as necessidades e possibilidades do cliente.

Quando o seguro de pessoas é contratado de forma coletiva, geralmente por empresas, o que acontece é que quem contrata a apólice é normalmente uma empresa ou associação de outra natureza, chamada neste caso de estipulante.

Os segurados apenas aderem a esta apólice, enquanto que o estipulante mantém o poder de representação dos segurados junto à seguradora. Neste ponto, devemos destacar também a importância da contratação de um seguro de vida com uma seguradora de confiança, que trabalhe de forma transparente com o corretor e o segurado e ainda tenha um bom sistema de suporte ao segurado e a seus beneficiários.

Gostou do nosso conteúdo? Então fique atento ao nosso blog e se inscreva em nosso newsletter para ficar por dentro das próximas postagens. E compartilhe com seus amigos essa oportunidade sobre seguro de vida.